Prêmio APS Forte recebe 1.151 experiências da Atenção Primária - CONASEMS
voltar

Atenção Básica | 11/01/2022

Prêmio APS Forte recebe 1.151 experiências da Atenção Primária

A 3ª edição do Prêmio APS Forte no SUS – Integralidade no Cuidado busca relatos de profissionais de saúde que façam a diferença na Atenção Primária. A premiação do Ministério da Saúde em parceria com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas/OMS) no Brasil recebeu 1.151 inscrições com experiências. O estado com maior número de inscrições foi São Paulo (148), seguido por Ceará (134) e Minas Gerais (103).

As inscrições ocorreram no período de 23 de novembro a 31 de dezembro de 2021, no site do prêmio. Todas as regiões do País participam, com destaque para o Sudeste (32% – 365), seguido pelo Nordeste (29% – 336), Sul (22% – 253), Centro-Oeste (10% – 114) e Norte (7% – 83). “O Ministério da Saúde quer conhecer, reconhecer e divulgar boas práticas. Ao ouvir quem trabalha na ponta, podemos construir políticas públicas equânimes e não que privilegiem poucos municípios”, afirma o secretário da Atenção Primária, Raphael Câmara.

As práticas selecionadas pelo APS Forte no SUS devem promover a melhoria do acesso da população, sempre priorizando e reforçando o papel da Atenção Primária como porta de entrada prioritária e coordenadora da atenção no sistema de saúde. O prêmio foi organizado em quatro eixos temáticos, sendo que o mais concorrido foi o Eixo 1 – Organização dos serviços de APS para o atendimento integral, com 562 relatos de experiências, em que a linha temática sobre ações de enfrentamento da pandemia de covid-19 recebeu 220 relatos.

Os outros três eixos são: Eixo 2 – Integralidade e Equidade, com registro de 277 inscrições; Eixo 3 – Atenção Integral nos Ciclos de Vida, com 224 relatos de experiências; e Eixo 4 – Promoção da Saúde, com 88 práticas inscritas.

“Para a Opas Brasil é gratificante reunir tantos conhecimentos de profissionais de saúde da Atenção Primária, que ofertam várias ações e serviços de saúde e, ao mesmo tempo, enfrentam a covid-19”, ressalta o coordenador da Unidade Técnica de Sistemas e Serviços de Saúde da Opas/OMS no Brasil, Roberto Tapia.

Comissão avaliadora

Na última quarta-feira (5/1), a comissão avaliadora, com representantes do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), Opas, Ministério da Saúde e especialistas da área, se reuniu para discutir o instrumento de avaliação (barema), elaborado com base no edital.

Cada experiência será avaliada por pares. Por eixo, poderão se classificar para a 2ª etapa de avaliação até 10 experiências em ordem decrescente de nota, com intervalo de 0 a 10. O comitê vai selecionar até cinco experiências por eixo para serem as finalistas. Por fim, apenas uma experiência será escolhida, por um júri composto por formadores de opinião, para ser premiada com viagem internacional, além das práticas serem publicadas na série técnica NavegadorSUS.

As experiências com potencial inovador desta edição vão compor ainda um mosaico de experiências sobre a atenção integral à saúde dentro de uma perspectiva de uma APS forte e resolutiva. Autores de alguns relatos classificados serão convidados a participar de encontros virtuais para compartilhar o aprendizado entre os profissionais da área, com transmissão on-line no Portal da Inovação na Gestão do SUS (www.apsredes.org).

A avaliação das 1.151 experiências começará no dia 10 de janeiro. Devido à alteração no período de inscrição, o cronograma será ajustado e logo será divulgado na página da iniciativa – https://apsredes.org/apsforte2021/

 

Com informações da SAPS

Compartilhar