Humanização é tema do seminário de saúde do servidor 2010 em São Paulo - CONASEMS
voltar

Gestão | 01/12/2010

Humanização é tema do seminário de saúde do servidor 2010 em São Paulo

humaniza-sus-300x268
humaniza-sus-300x268Sob o tema ”Humanização: Uma Responsabilidade Social – Conceitos, Limites e Possibilidades”, a Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão promoveu recentemente o Seminário de Saúde do Servidor 2010. O encontro de trabalho anual contou com a participação de cerca de 400 servidores, que assistiram a várias palestras e atrações culturais.

Cerca de 400 servidores participaram do Seminário de Saúde do Servidor 2010, que abordou este ano o tema “Humanização: Uma Responsabilidade Social – Conceitos, Limites e Possibilidades”.

O seminário é promovido anualmente pela Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão (Sempla), por intermédio da Coordenadoria de Gestão de Pessoas (COGEP) e do Departamento de Saúde do Servidor (DESS).

Na abertura do evento, a coordenadora de Gestão de Pessoas, Dolores Maria dos Santos, e o diretor do DESS, José Carlos Baccarin, falaram da importância do tema escolhido. Segundo Dolores, o objetivo é incentivar a reflexão sobre os processos e modelos de atenção e gestão utilizados, a fim de promover mudanças pessoais e coletivas que privilegiem a humanização em todos os níveis de trabalho, buscando alcançar sempre maior qualidade de vida e, conseqüentemente, melhor atendimento ao servidor e ao cidadão.

Durante os últimos dias 18 e 19/11, os servidores assistiram a várias palestras e atrações culturais. Apresentaram-se o coral Verde em Canto, formado por funcionários da Secretaria do Verde e Meio Ambiente (SVMA), a Orquestra de Câmara dos alunos da Escola Municipal de Música e o contador de histórias e oficineiro da SVMA, Samuel Souza de Paula. Uma equipe de enfermagem do DESS realizou exames para prevenção de riscos cardiovasculares.

Na primeira palestra, “A gestão de pessoas e a ouvidoria como instrumentos de humanização”, Mônica Ludmer, diretora de gestão de pessoas, e Rosana Aparecida Franchi Brito, assessora de humanização e ouvidora, falaram sobre a experiência em gestão de pessoas no Hospital Maternidade-Escola Dr. Mario de Moraes Altenfender Silva (Vila Nova Cachoeirinha). Anivaldo Solano Santos, especialista em Administração Pública, assessor da Autarquia Hospitalar e instrutor da Escola do Servidor falou sobre “Motivação para desenvolver características humanas positivas”.

Na mesa redonda mediada por Cláudio Dimmer Magrini, médico do trabalho e diretor da Divisão de Perícia Médica do DESS, foram abordadas práticas de humanização. Clara Sette Whitaker Ferreira, médica sanitarista, apresentou a “Política de Humanização do Ministério da Saúde”; Edna Muniz de Souza, assistente social e psicóloga da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), falou sobre “Práticas de Gestão de Pessoas na SMS: um olhar para a qualidade de vida e organização do trabalho”; e Cláudia de Crescenzo, fonoaudióloga, também da SMS, falou sobre as conquistas e desafios do Comitê Municipal de Humanização.

“Reinserção no trabalho e humanização” foi o tema da palestra de Maria de Fátima e Silva, pedagoga, com atuação nas áreas de Inclusão Social, Educação e Recursos Humanos. Ela falou das dificuldades de adaptação no retorno ao trabalho, principalmente de pessoas com deficiência; da importância do acolhimento e do respeito à diversidade humana.

Na palestra “Práticas de Humanização no cotidiano do DESS – Ações e Perspectivas” Beatriz de Abreu Dallari Guerreiro, assistente jurídica do DESS, apresentou o trabalho realizado por todas as áreas do Departamento, que é responsável pelo atendimento médico-pericial e pela implementação de um conjunto de ações e políticas de promoção à saúde para os servidores da Prefeitura de São Paulo. “A humanização está presente em todas as áreas e programas do DESS, que acompanha o servidor ao longo de toda a sua vida profissional”, concluiu Beatriz.

Cláudio Dimer Magrini falou sobre “Relacionamento do DESS com usuários – Humanização da Perícia”. O DESS tem feito um trabalho de avaliação dos registros médicos periciais com o objetivo de controlar e garantir a qualidade técnica e ética no atendimento, de acordo com os protocolos médicos. “Com isto, pretendemos fazer o controle de qualidade no atendimento médico, parte essencial do processo de humanização”.

“Prevenção de acidentes de trabalho: a humanização dos ambientes” foi o tema abordado por Jussara Kuper da Silva Machado, engenheira, membro da equipe de Avaliação Ambiental, da Divisão de Promoção à Saúde do DESS. Foram apresentados todos os riscos inerentes ao trabalho, métodos de controle desses riscos e ações corretivas. “Quando se têm fatores de risco, é importante que existam também procedimentos de tarefas”.

“Clima organizacional: humanização e saúde dos trabalhadores” foi o tema abordado por Mirtes Moreira Silva, especialista em Saúde Pública e Ambiental e educadora vinculada à Rede Municipal de Ensino. Mirtes falou de educação e saúde ambientais na área da Educação, além dos conceitos sobre Clima Organizacional, que é o retrato de um ambiente de trabalho, num determinado momento, feito a partir da avaliação dos funcionários (pesquisa de clima). “A humanização é um aspecto importante que gera mais respeito, solidariedade, cooperação e harmonia entre todos”, destaca.

Ana Cláudia de Lima Quintana Arantes, médica e especialista em Cuidados Paliativos, encerrou o Seminário com a palestra “Ética da fragilidade humana”. Ela fez uma reflexão sobre a fraqueza humana extrema, o tempo na nossa vida e a morte. Segundo Ana, cuidados paliativos são cuidados de proteção e cuidar bem do outro faz a pessoa viver mais. “A dor não deve ser tratada só com analgésicos. É preciso avaliar todas as dimensões: emocional, profissional, familiar, espiritual etc”.

“Esperamos ter contribuído para que as pessoas busquem sempre um ambiente saudável no trabalho e no relacionamento entre si, o que traz maior realização tanto profissional, quanto pessoal”, concluiu Baccarin.

Assessoria de Comunicação da Prefeitura de São Paulo (SP)

Compartilhar