Estratégia de Saúde da Família de Novo Hamburgo (RS) será ampliada em 2011 - CONASEMS
voltar

Gestão | 20/01/2011

Estratégia de Saúde da Família de Novo Hamburgo (RS) será ampliada em 2011

Olinda é atendida em casa pelo médico Cesar Augusto Vargas Abdalla
Olinda é atendida em casa pelo médico Cesar Augusto Vargas AbdallaOs serviços de saúde estão cada vez mais chegando às casas dos moradores de Novo Hamburgo. Em janeiro de 2011, a Estratégia de Saúde da Família (ESF) será ampliada, passando de seis para oito equipes, realizando serviços de prevenção e, com isso, diminuindo o número de pacientes em unidades de saúde e no Hospital Municipal. A meta é que 26 grupos de profissionais ligados às ESFs sejam criados no Município, traçando um novo panorama para o setor proposto pela Prefeitura. Além do aumento dessas equipes, a Administração, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), planeja a disponibilização de serviços especiais para o atendimento de classes como hipertensos, diabéticos, crianças e gestantes.

A ESF foi implantada em março de 2010. Atualmente são seis equipes em atuação em Novo Hamburgo, sendo duas no bairro Roselândia, duas no Rondônia, uma no Boa Saúde e outra no Santo Afonso (essa mantida pelo Projeto Regina Comunidade, do Hospital Regina). Para janeiro de 2011, a secretária municipal da Saúde, Clarita de Souza, afirma que os dois novos grupos atuarão no Boa Saúde – aumentando para duas as equipes nesse bairro – e na Vila Iguaçu, Canudos. “É uma ampliação que vai beneficiar diretamente o usuário do SUS em Novo Hamburgo. É uma otimização dos serviços, levando o trabalho dos agentes de saúde na casa de cada cidadão”, destaca.

A mudança altera completamente o foco do atendimento na área da saúde em Novo Hamburgo. No modelo convencional, o paciente normalmente procura o serviço médico já em busca de tratamento, o que aumenta a demanda do serviço público e faz com que as pessoas desenvolvam patologias de forma mais frequente. Com a ESF, o trabalho de prevenção é mais eficaz, com o acompanhamento mensal dos agentes de casa em casa, cadastrando os moradores e passando orientações de prevenção a doenças e demais cuidados com a saúde. Para quem precisa de atendimento médico e não pode se deslocar até a unidade de saúde mais próxima, o profissional se dirige até a residência do paciente.

O casal Olinda Ferraz Abreu, de 77 anos, e Lindolfo José Ferraz Abreu, de 76, já recebeu o atendimento de uma das equipes da ESF do bairro Rondônia. “É muito mais confortável. Muitas vezes não temos condições de sair de casa, e ter o serviço de saúde em nosso lar ajuda muito”, enfatiza Olinda. Com trabalhos do médico Cesar Augusto Vargas Abdalla e da enfermeira Ingrid Braun Helmich, foram realizados exames nos moradores. Com base no diagnóstico feito no dia e também através do histórico registrado no cadastro de Olinda e Lindolfo, foram receitados novos tratamentos e dicas de prevenção a doenças. “É muito melhor atender nas casas. Além de proporcionar um conforto aos usuários, podemos ver a realidade de cada lar, de como cada pessoa tem se cuidado, tudo com conversas com os próprios pacientes e também de filhos, netos e demais pessoas que compõe a família”, informou Abdalla.

Como funciona a ESF?
O programa traça uma nova estratégia do modelo assistencial. O atendimento é feito com a disponibilidade de equipes multiprofissionais. Esses grupos têm a missão de acompanhar famílias inseridas em uma área geográfica delimitada, desenvolvendo iniciativas voltadas à promoção da saúde, prevenção, recuperação, reabilitação de doenças e patologias mais frequentes. Os agentes fazem um acompanhamento de todo o ciclo vital de cada pessoa, desde o nascimento, passando pela fase adulta até a idosa.

Cada equipe da ESF é composta por:
– Um médico especializado em saúde da família e comunidade
– Um enfermeiro especializado em saúde coletiva
– Um técnico em enfermagem
– Cinco agentes comunitários de saúde

Os grupos multiprofissionais ainda podem ser acrescidos de dentistas, nutricionistas, assistentes sociais, psicólogos e terapeutas ocupacionais.

Criação de novas unidades de saúde fortalecerá o programa

Além do aumento das equipes da ESF, a Prefeitura de Novo Hamburgo está investindo na construção de novas Unidades de Saúde da Família (USFs). Atualmente, quatro estão em construção nos bairros Boa Saúde, Rondônia, Morada dos Eucaliptos (Canudos) e Getúlio Vargas (essa uma obra do Governo do Estado). As unidades Mundo Novo, São Jorge, Guarani, Santo Afonso, Vila Palmeira e Petrópolis estão com projetos encaminhados. Ainda serão ampliados os prédios dos bairros Roselândia e Kephas.


Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Novo Hamburgo (RS) 

Compartilhar