Conasems participa de audiência pública sobre vacinação para adolescentes contra a Covid-19 - CONASEMS
voltar

Coronavírus | 28/09/2021

Conasems participa de audiência pública sobre vacinação para adolescentes contra a Covid-19

A comissão que acompanha as ações relacionadas à pandemia no Senado Federal promoveu, na última segunda-feira (27), uma audiência pública sobre a vacinação para adolescentes contra a Covid-19. O objetivo do debate foi a manutenção da vacinação de adolescentes de 12 a 17 anos sem comorbidades em todo país. Participaram o assessor técnico do Conasems, Alessandro Chagas; a secretária da Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19, Rosana Leite; e o vice-Presidente do CONASS, Nésio Fernandes. Ao final do evento, os debatedores concluíram que a vacinação contra Covid-19 para adolescentes deve ser mantida.

Durante a audiência, Rosana Leite esclareceu que 4,5 milhões de adolescentes já foram vacinados no Brasil e que a Anvisa concluiu que a morte da adolescente pós-vacinação em São Paulo, que levou à indicação de suspensão da vacina para esse público pelo Ministério da Saúde, estava relacionada a uma doença autoimune. Com isso, a vacinação dessa faixa etária foi retomada. “Nós sabemos da importância da vacinação, principalmente em um país latino como o nosso, na nossa cultura, em que nós nos abraçamos, isso é muito difícil, nós temos muito contato. E é um público que tem muita mobilidade, principalmente de 15 a 17 anos. Então, por mais que eles fiquem assintomáticos, eles transmitem”, explicou.

O senador Esperidião Amin, responsável pela iniciativa do debate, ressaltou que os anúncios realizados pelo Ministério da Saúde no último mês podem prejudicar a eficiência dos programas de imunização. “Só gera uma instabilidade desnecessária, artificial, que não contribui em nada a não ser em aumentar o pavor dos que já estavam com medo. Como brasileiro, fiquei muito triste com o que eu assisti nesses últimos 30 dias a respeito de controvérsias sobre a quem vacinar”, lamentou.

O assessor técnico do Conasems, Alessandro Chagas, concordou com a fala do senador e afirmou que os grupos prioritários para vacinação foram definidos pela escassez de vacinas, mas, com imunizantes suficientes, todos devem ser vacinados. “Um equívoco intempestivo e uma atitude unilateral pode colocar em risco principalmente a vacinação desse público jovem, vista a dificuldade que o sistema de saúde tem na adolescência, por exemplo com a vacina contra o HPV. A questão dos grupos prioritários aconteceu por um cenário de falta de vacina no mundo inteiro, passando por esse cenário, acredito que a partir de setembro, não precisamos mais disso, nós teremos capacidade para vacinar todos os públicos”, explicou.

Confira a audiência íntegra:

 

Compartilhar