Sete Lagoas (MG) enfrenta a dengue ao lado do Estado - CONASEMS
voltar

Gestão | 18/11/2010

Sete Lagoas (MG) enfrenta a dengue ao lado do Estado

“Não basta ação do governo. É fundamental que as pessoas participem dessa verdadeira guerra”, diz governador Anastasia sobre necessidade de eliminar os focos do mosquito dentro das casas

Sete Lagoas entra com Minas na luta contra a dengue. Nesta quarta-feira (17), a cidade passou a integrar o Programa Estadual de Controle Permanente da Dengue, ao lado de 79 municípios. Em ação inédita no estado, o Governo de Minas comanda os esforços das Forças Armadas, prefeituras e sociedade para enfrentar a ameaça de epidemia causada pelo mosquito Aedes Aegypt. Até junho de 2011, serão investidos R$ 60 milhões do tesouro estadual para mobilizar pessoas, comprar equipamentos e criar uma força tarefa que atuará durante 15 dias em cada um dos 20 municípios com maior índice de infestação.

Para o governador, Antonio Anastasia, a palavra de ordem da campanha é mobilização. “O quadro é grave. A dengue se transforma, a cada dia, em um tema a se preocupar e temos que agir”, discursou. No ano passado, Minas Gerais teve 83 mil casos e, nesse ano, já subiu para 246 mil. A Secretaria Estadual de Saúde projeta que, se nada for feito, em 2011, 507 mil mineiros serão atingidos pela epidemia. “Não basta ação do governo. É fundamental que as pessoas participem dessa verdadeira guerra”, disse o governador em entrevista coletiva.

Com base na estatística de que 87% dos focos do mosquito estão nas residências, o governo estadual atuará em quatro frentes: mobilização social, comunicação social, vigilância e assistência. O comando das ações deixa de ser uma questão de saúde e passa a ser de Estado.

O mesmo modelo de gestão criado pelo governo de Minas será adotado em Sete Lagoas, onde o prefeito coordenará o combate. Uma sala de situação funcionará dentro do gabinete, com boletins semanais avaliando o desempenho do enfrentamento aos focos do mosquito e as ações que precisam ser tomadas de imediato. “A luta contra a dengue é de todos nós. Levaremos essa campanha para nossa cidade para que não tenhamos nenhuma morte”, declarou o prefeito Mário Márcio Maroca após solenidade, na Cidade Administrativa, que marcou a assinatura de dois decretos do governador e encaminhamento de projeto de lei à Assembleia Legislativa propondo medidas para reduzir a propagação da dengue.

Para mobilizar a população, oficinas serão dirigidas a empresas, comércio, igrejas, clubes, escolas e outras entidades para alertar sobre a importância da prevenção. Os primeiros municípios a terem os focos do mosquito eliminados pela força tarefa de 432 pessoas serão Ribeirão das Neves, Betim, Vespasiano, Santa Luzia e Juiz de Fora. Um caminhão, o Dengue Móvel, percorrerá os bairros para trocar entulho por material escolar. No espaço de informação “Dengômetro”, dúvidas poderão ser esclarecidas. Segundo o secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge Marques, cada cidade poderá adotar soluções criativas que envolvam as pessoas em prol da causa. “Queremos mostrar a experiência para os municípios e eles vão adaptá-la na sua cidade”, afirmou Marques.

No Brasil, quatro tipos de vírus da dengue estão em circulação. As infestações acontecem, normalmente, no verão, com contaminações durante ou após os períodos chuvosos. A forma mais grave da doença, a dengue hemorrágica, pode levar à morte.

Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Sete Lagoas (MG) 

Compartilhar