SB Brasil: Conheça todos os passos da Pesquisa Nacional de Saúde Bucal - CONASEMS
voltar

Atenção Básica | 16/09/2022

SB Brasil: Conheça todos os passos da Pesquisa Nacional de Saúde Bucal

O SB Brasil é um estudo sobre as condições de saúde bucal da população brasileira. Esta pesquisa representa a continuidade dos modelos já realizados em 2003 e 2010 e será realizada com mais de 50 mil pessoas (50.800 pessoas) inseridas em 422 municípios, sendo estes 395 municípios do interior somados às 26 capitais e ao Distrito Federal.  Por meio desta pesquisa, busca-se identificar as doenças bucais mais prevalentes como a cárie dentária e a doença periodontal, bem como a necessidade de próteses dentárias, as condições de oclusão, o traumatismo dentário e o impacto das condições de saúde bucal na qualidade de vida, entre outros aspectos.

O objetivo da pesquisa é avaliar as condições de saúde bucal da população brasileira para subsidiar o planejamento e a avaliação das ações e serviços junto ao SUS e manter uma base eletrônica de dados públicos para o componente de vigilância a saúde da Política Nacional de Saúde Bucal. A coleta de dados é feita nas casas de pessoas que moram nos setores censitários sorteados, dos 422 municípios.

Quem faz a coleta de dados são profissionais que atuam nas Unidades Básicas de Saúde, ou seja, já conhecem a comunidade. Estes profissionais estão devidamente caracterizados, com colete e boné do SB Brasil além de crachá, em caso de dúvidas os moradores podem entrar em contato com as secretarias municipais e confirmar os dados do profissional.

Nesse mês, a pesquisa entra em sua etapa de analise dos dados coletados. Confira o cronograma na íntegra:

 

Fases do levantamento epidemiológico

Coleta de dados socioeconômicos por meio de questionário validado previamente. A coleta de dados deve começar pela entrevista com o (a) participante elegível ou o responsável, que responderá questões sobre a condição socioeconômica, acesso e utilização de serviços odontológicos, dor dentária e orofacial, autopercepção e impacto da saúde bucal na vida diária.

Exame epidemiológico bucal das pessoas com idades de 5 anos e 12 anos, e dos grupos etários de 15 a 19 anos, 35 a 44 anos e 65 a 74 anos. Entre os agravos bucais avaliados estão cárie dentária, traumatismo dentário, condição periodontal e condição da oclusão dentária. Avaliação da saúde bucal por meio de exame físico de pessoas de 5 anos, 12 anos, 15 a 19 anos, 35 a 44 anos e 65 a 74 anos. Entre os agravos bucais avaliados estão cárie dentária, traumatismo dentário, condição periodontal, condição da oclusão dentária. Por meio do exame bucal, também serão avaliados a necessidade de tratamento dentário, urgência de tratamento e a necessidade de prótese dentária.

Por meio de avaliação da saúde bucal, também serão verificados dados sobre a necessidade de tratamento dentário, urgência de tratamento e de próteses dentárias.

Orçamento

Orçamento SB Brasil 2020: O Ministério da Saúde investiu aproximadamente R$ 4 milhões (R$ 3.953.5823,06) na pesquisa SB Brasil 2020 (vigência 2021-2022).


Fases da pesquisa com maior detalhamento

Arrolamento ( Identificação do território e da população alvo): 

Fase 1: O arrolador (profissional da Unidade Básica de Saúde), percorre o setor censitário sorteado, observa, atualiza os endereços das moradias (domicílios e outras edificações) registrando os dados no Dispositivo Móvel de Coleta (DMC), e depois envia para a coordenação da pesquisa.

Fase 2: O arrolador retorna ao setor censitário e identifica os participantes elegíveis nas moradias sorteadas, localizadas nesse setor censitário. Estes dados também são registrados no DMC e enviados para a coordenação da pesquisa.

 

Exame bucal e questionário socioeconômico 

Fase 3:

Entrevista e exame bucal

O cirurgião-dentista (examinador) e o auxiliar/técnico de saúde bucal (anotador) visitam a moradia e realizam a entrevista sobre questões sobre sua condição socioeconômica, acesso e utilização de serviços odontológicos, dor dentária e orofacial, autopercepção e impacto da saúde bucal e o exame bucal.

 

Para onde vão os dados? 

Após a coleta de dados com o morador, os dados são enviados para o Ministério da Saúde e UFMG, onde vão ser analisados e vão resultar em:

Ampliação de serviços de saúde bucal,
Identificação dos agravos mais prevalentes e
Ações de promoção à saúde, prevenção de agravos e assistência

 

Profissionais que estão se dedicando à pesquisa SB Brasil 2020

27 Coordenadores Estaduais de Saúde Bucal,

422 Coordenadores Municipais de Saúde Bucal; de 395 municípios do interior, das 26 capitais e do Distrito Federal

2375 Profissionais da Atenção Primária à Saúde

11 Referências Regionais (RR)

38 Apoiadores de Referências Regionais (ARR)

Saiba mais em https://aps.saude.gov.br/ape/brasilsorridente/sbbrasil2020 

Compartilhar