voltar

Coronavírus | 20/03/2020

Saúde na Hora: apenas 7% dos municípios participam do programa

R$ 1,7 bilhão está disponível, mas apenas 387 municípios do país aderiram ao programa 

Para reforçar o atendimento durante a Emergência de Saúde Pública de Importância Nacional pela COVID-19, o Ministério da Saúde facilitou a adesão dos municípios ao programa Saúde na Hora, que amplia repasses mensais a postos de saúde que estenderem o horário de atendimento à população. No início de março, o Ministério anunciou a flexibilização de alguns critérios para que todos os cerca de 42 mil postos de saúde espalhados pelo Brasil pudessem participar do programa. No período de um mês, o Ministério da Saúde recebeu menos de 300 novas solicitações de adesão para que postos de saúde possam abrir as portas por mais tempo para prestar assistência à população.

Nesta quinta-feira, 16 de abril, a partir das 15h (horário de Brasília) o Conasems realizará uma live em parceria com a Secretaria de Atenção Primária em Saúde para esclarecer dúvidas do gestores. A transmissão acontecerá no Canal do Conasems no YouTube.

Atualmente, 1.987 (5%) postos de saúde participam do programa, em 387 (7%) municípios. Deste total, até o momento, 900 deles começaram a funcionar com horário ampliado, sendo os estados com os maiores números de adesão ao programa São Paulo, com 407 unidades de saúde, e Minas Gerais, com 288. Caso todos os postos de saúde (1.987) que aderiram ao programa já estivessem funcionando por mais tempo, o investimento federal chegaria a R$ 53,7 milhões de um total R$ 1,7 bilhão disponibilizado para o programa. Desta forma, mais de 40 milhões de brasileiros seriam beneficiados.

Informações via Agência Saúde

Compartilhar