Saúde: em três dias, Campanha de Doação de Sangue alcança 38% da média mensal, em Cubatão - CONASEMS
voltar

Gestão | 30/11/2010

Saúde: em três dias, Campanha de Doação de Sangue alcança 38% da média mensal, em Cubatão

campanha_medula
campanha_medulaE serviu também para hospital reforçar a triagem para Cadastro Nacional de Doadores de Medula Óssea, o segundo da região

“Um sucesso! A população atendeu o nosso chamado e está de parabéns, pois muitas vidas poderão ser salvas, em decorrência deste belo gesto de amor”, comentou Daniela Banks, coordenadora do banco de sangue do Hospital Dr. Luiz Camargo da Fonseca e Silva, ao notar o grande crescimento da demanda por atendimento no setor. A frase foi dita ainda na manhã de sábado (27), último dos três dias da campanha comemorativa do Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue (25/11). A promoção foi da Secretaria de Saúde de Cubatão, por meio do banco de sangue do hospital gerido pela Organização Social Pró Saúde, que homenageou os doadores com uma camiseta alusiva à data.

De acordo com o balanço divulgado pela unidade nesta segunda-feira (29), a campanha totalizou 76 bolsas de sangue durante os três dias. Resultado que representa 38% da arrecadação média mensal.

Segundo Daniela Banks, o resultado é reflexo da grande participação da comunidade e de grupos voluntários, formados por funcionários da empresa SMI (Usiminas) e do grupo de jovens da Coordenadoria da Juventude de Cubatão. “Foi muito importante, pois, com o banco de sangue vazio, estávamos mesmo precisando”, completou a coordenadora.

Temporada – Em que pese o sucesso da campanha, Daniela reforça a necessidade de haver mais doadores, principalmente com a chegada da temporada de verão e férias, fator que impulsiona a movimentação nas estradas da região, o que naturalmente aumenta o número de acidentes. Consequentemente, elevando os atendimentos de urgência/emergência nos prontos socorros e hospitais. “Nessas horas, é primordial que tenhamos um bom estoque de sangue, um dos principais divisores das chances de salvar vidas”.

Exemplo de Juventude – Mais de 100 pessoas passaram pelo banco de sangue do hospital, em entrevista para a campanha. De uma forma ou de outra, elas diziam que, movidas pela nobre causa, foram despertadas para a solidariedade. Algumas pela primeira ou segunda vez, outras já habituadas em ajudar o próximo. Mas todas traduziam num só motivo: dar esperança de sobrevida a alguém, não importa quem.

Neste sentido, um grupo de jovens (de 18 a 30 anos) marcou o encerramento da campanha, revezando-se das 7 às 12 horas de sábado nas entrevistas do banco de sangue do hospital. Lideradas por Caio César Leite Martins (21), coordenador de Juventude de Cubatão, cerca de 30 pessoas deram um exemplo de solidariedade e cidadania. Havia representantes de todos os núcleos: Barbara Pereira de Lucena (21), da Vila dos Pescadores; Lívia Tavares Ferraz Ramos (24), da Vila Nova; Phelipe de Paula (24), do Vale Verde; Fernanda P. Temóteo (29), da Cota 200, e Maria Ferreira Santos, da Vila Couto, entre outros.

“Que a juventude comece a se responsabilizar e assumir a sua parcela na sociedade, envolvendo-se cada vez mais em questões ambientais, educacionais, culturais e também de saúde. Desenvolver a cidadania, deixando exemplo para as gerações, cumprindo bem nosso papel”, resumiu Caio César.

Medula Óssea – A coordenadora Daniela Banks aproveitou também para reforçar a importância da participação dos doadores de sangue em outra campanha promovida pelo hospital, que tem por finalidade um cadastro nacional de doadores de medula óssea. “Somente duas unidades hospitalares fazem isso na Região: Hospital Guilherme Álvaro, em Santos, e Hospital Dr. Luiz Camargo da Fonseca e Silva, em Cubatão”, disse Daniela, acrescentando que o processo “não é nenhum bicho de sete cabeças, como muita gente imagina. Agora, nestes três dias, conseguimos cadastrar 19 doadores”.

Como funciona – É necessário ter de 18 a 55 anos de idade e boa saúde, seguindo os requisitos para “Doação de Sangue” (neste caso, até 65 anos). É preciso se cadastrar como doador voluntário num Hemocentro· No cadastramento, os voluntários doam apenas 10 ml de sangue; Essa amostra passa por um exame de laboratório (teste de HLA), que determina as características genéticas do possível doador; Estas informações são colocadas num cadastro chamado Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome).

Quando alguém precisa de transplante, os técnicos do Redome pesquisam nos registros a compatibilidade entre os doadores cadastrados; se for encontrado um doador compatível, ele será convidado a fazer outros exames de compatibilidade genética. E, caso o perfil coincida com o do paciente que precisa do transplante, o voluntário decide se realmente quer doar.

Momento da doação – Quando chegar o momento certo (exata hora), o doador recebe anestesia geral. E, com uma agulha, a medula é aspirada do osso da bacia; A quantidade de medula doada é de apenas 10% da medula total, e em 15 dias já estará recomposta.

Os interessados em doar devem procurar o Redome ou o Hemocentro mais próximo, que, no caso da Baixada santista, são os dois hospitais citados.

O Hospital Luiz Camargo da Fonseca e Silva fica na Av. Henry Borden s/nº, Vila Santa Rosa, em Cubatão. O banco de sangue atende de segunda à sexta-feira, das 7 às 14 horas.

Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Cubatão

Compartilhar