Santa Vitória (MG) promove conferência de saúde - CONASEMS
voltar

Gestão | 27/11/2010

Santa Vitória (MG) promove conferência de saúde

Equipe de Santa Vitória (MG)
Equipe de Santa Vitória (MG)O município de Santa Vitória, jurisdicionado à Gerência Regional de Saúde de Ituiutaba promoveu durante todo o dia 23 de novembro, no Salão de Eventos do Parque de Exposição, a IV Conferência Municipal de Saúde com o tema “A influência da qualidade no atendimento da Atenção Primária à Saúde nos resultados dos indicadores, buscando o controle social”.

O evento contou com a participação do palestrante Dr. Helvécio Campos de Albuquerque, médico pós-graduado em Pediatria, Saúde da Família e Consultor da Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais e também com autoridades locais, secretários municipais de saúde, médicos, enfermeiros, agentes de saúde, técnicos em enfermagem, juntamente com profissionais da área de outros municípios, formando um público de mais de trezentas pessoas.

O Secretário de Saúde local, Miguel Ângelo de Oliveira Ribeiro fez a abertura relatando que Santa Vitória possui 100% de cobertura nas ações do Programa Saúde da Família (Saúde em Casa), confirmando assim seu compromisso com a população e também com o desenvolvimento da cidade, levando saúde para região urbana e rural. “A importância do Plano Diretor na Atenção Primária à Saúde para Organização do Sistema de Saúde e sua experiência” foi a explanação levada pelo palestrante, Dr. Helvécio, de imediato alertando o público sobre a interação entre secretarias e profissionais para uma estrutura adequada, um processo consistente, gerando resultado permanente fomentado em rede, alertando os profissionais que a “mortalidade infantil é morte anunciada, é homicídio doloso e deve ser enfrentada lá no começo, ou seja, logo na estruturação do Plano Diretor na Atenção Primária desenvolvido em nossa região e que a Vigilância da Saúde é formada por três pilares: promoção, prevenção e assistência”.

Para ele é de fundamental importância o Programa de Educação Permanente, pois é baseado em evidências e práticas reflexivas e que o órgão gestor deve incentivar enfermeiros, técnicos e agentes de saúde a desenvolver este Programa porque ele á a mola propulsora na construção de um trabalho norteado pela qualificação.

Questionado sobre o papel do trabalho desenvolvido pela “ponta”, ou seja, os profissionais que estão em atendimento contínuo com a população, como o Programa de Saúde da Família, Dr. Helvécio Campos de Albuquerque foi enfático: “a ponta é operacionalizadora, dependente da Gestão para obter meios de atuação, aquisição de insumos e outras necessidades para operacionalizar o que é pactuado pela Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais devendo ficar claro cada papel e o da Gestão é focar nas finalidades”.

No seu entendimento, as Gerências Regionais de Saúde devem praticar a política do Estado, “ajudando os gestores, fazendo-os entender que o resultado deve acontecer, orientando e cobrando sobre o uso dos diversos instrumentos criados pela Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais, orientando-os para que as políticas públicas sejam fomentadas – ela é um enorme potencial educador”.

Concluindo o palestrante deixou um recado: “o mineiro precisa viver mais e melhor e o braço para isso é a atuação das Gerências, operacionalizando o fortalecimento da Atenção Primária, da Gestão e Assistência Hospitalar (dentro do Pro-Hosp) e também a organização dos fluxos dentro do Sistema e a Atenção Primária é a fonte para isso”.

Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Santa Vitória (MG) 

Compartilhar