Participação popular nas ações de incentivo à vacinação - CONASEMS
voltar

Brasil aqui tem SUS | 20/08/2021

Participação popular nas ações de incentivo à vacinação

Marcada historicamente pela participação popular e ações comunitárias, Icapuí-CE fez da educação em saúde um mecanismo de incentivar a vacinação contra Covid-19 no município

Dividido entre mar e sertão, Icapuí é o último município do litoral leste do Ceará cuja população, de aproximadamente 20 mil habitantes, se distribui em uma vasta extensão territorial. Somente na faixa litorânea são cerca de 18 praias ao longo de 62 km, o que torna a presença do poder público um desafio permanente.  Com o início da vacinação contra a Covid-19, as nove equipes da Estratégia Saúde da Família do município começaram um trabalho dedicado para proteger o maior número possível de pessoas. 

Para cadastrar e levar a vacina à população, os profissionais de saúde têm contado com a contribuição dos moradores locais, que ajudam no deslocamento das equipes onde o acesso é precário, disseminam informações sobre as vacinas e transpõem barreiras topográficas para mobilizar pessoas mais isoladas. O município é conhecido historicamente pela participação popular, organizada nos conselhos municipal e local de saúde, no teatro comunitário, dentre outros. O forte componente de educação em saúde faz da cidade um espaço de construção permanente de cidadania.

O historiador e professor Gustavo Augusto é um dos voluntários no cadastramento da vacina. Residente na comunidade de Redonda, em Icapuí, ele tem ajudado dois grupos específicos: os que não têm acesso à internet e, portanto, desconhecem as informações que circulam pelas redes sociais; e os que têm dificuldade de entendimento sobre o uso das ferramentas digitais. Gustavo cadastrou inúmeras pessoas, muitas das quais já receberam a primeira dose da vacina, e continua a reunir dados para incluir mais usuários no processo de imunização. “Eu acredito que nós, enquanto corpo social, precisamos pensar coletivamente. Estamos enfrentando uma crise econômica, política e social sem precedentes na nossa história e é urgente olharmos o outro como alguém digno de cuidado, de solidariedade”, afirma.

Icapuí possui oito unidades de saúde e 100% de cobertura da Estratégia Saúde da Família. As vacinas encaminhadas pela Secretaria Estadual de Saúde (SESA) são distribuídas em todo território municipal, o que inclui área litorânea e rural. Em algumas localidades há um pequeno posto de apoio para onde os profissionais das unidades de referência se deslocam. No início da vacinação, a Secretaria Municipal de Saúde disponibilizou um digitador em cada ponto de apoio para ajudar no cadastramento da população. Agora que a vacinação está organizada por faixa etária e inclui uma parcela maior da população, a Secretaria buscou reforço da Educação para auxiliar no cadastramento dos próximos vacinados.

Quando a vacina chega

A configuração do município exige uma rede de comunicação formal e informal também no momento da vacinação. De acordo com a coordenadora da Atenção Básica, a enfermeira Brena Jéssica da Silva, ao ser divulgado o nome do usuário na lista de cadastro do Estado, inicia-se a divulgação boca a boca, pelo rádio, nos grupos de whatsapp e através dos agentes comunitários de saúde.

Um exemplo de como a informação chega na zona rural acontece na fazenda COPAN, que abriga dezenas de moradores encarregados pelo trabalho de geração de energia elétrica, plantação de caju e pecuária bovina. Quando a equipe de vacinação se desloca para esse povoado, os moradores se mobilizam e saem avisando em todas as casas, como também ajudam a equipe a chegar aos locais mais afastados.

Outro desafio é evitar o desperdício de doses das vacinas. “Programamos a aplicação de uma quantidade de doses, mas no dia da vacinação o usuário não comparece. Acionamos a nossa rede de grupos no whatsapp para localizar, mesmo que no outro extremo do município, pessoas com perfil para receberem a vacina. A gente vai do mar ao sertão com uma dose sobrando, rotina que se repete quase todos os dias,” descreve Brena. 

O SUS

O município de Icapuí tem buscado conter a transmissão da doença em um contexto de grande circulação de turistas nas praias da região. “Nesse momento de pandemia, o SUS entrou na vida cotidiana do cidadão de maneira muito mais forte do que antes. A importância de um sistema, não somente assistencial, mas que monitore e garanta medidas de proteção coletiva, é fundamental”, afirmou o secretário municipal de saúde, Reginaldo Alves.     

A relevância desse trabalho, segundo o secretário, se deve ao papel exercido pelos profissionais de saúde, que assumiram a missão de salvar vidas. “Os serviços de saúde foram um dos poucos que ficaram funcionando com reforço das suas atividades no primeiro momento da pandemia. A gente não tinha vacina, todo mundo estava exposto ao perigo da contaminação, mas ninguém arredou o pé. O SUS se fez mais presente do que nunca, mais importante do que nunca, caracterizando a necessidade de seu fortalecimento”, enfatiza o secretário.

A enfermeira Sabrina Silva foi a única de sua equipe que não testou positivo para Covid-19. Para ela, estar na linha de frente contra a doença tem provocado sentimentos contraditórios. “Tem momentos que estamos exaustos, achando que não conseguiremos mais avançar, mas quando vemos a população vacinada, dá um novo ânimo. São muitas emoções todos os dias e a gente sempre espera o melhor”.

Compartilhar