No Dia da Pessoa com Deficiência - Condef revela que Prudente tem 26,3 mil deficientes - CONASEMS
voltar

Gestão | 03/12/2010

No Dia da Pessoa com Deficiência – Condef revela que Prudente tem 26,3 mil deficientes

Durante a manhã desta sexta-feira, conselheiros do Condef também fizeram panfletagem na Praça 9 de Julho
Durante a manhã desta sexta-feira, conselheiros do Condef também fizeram panfletagem na Praça 9 de JulhoDados divulgados na manhã desta sexta-feira (03/12) pelo Conselho Municipal da Pessoa Portadora de Deficiência (Condef), com base nos últimos números divulgados recentemente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostram que em Presidente Prudente existem atualmente 26.386 prudentinos com algum tipo de deficiência. Destes, 57,61% são deficientes visuais, o que representa 15.203 habitantes; 20,04%, ou 5.290 prudentinos, têm deficiência auditiva; 13,27%, isto é, 3.503 pessoas, deficiência mental permanente; 4,26% têm algum tipo de deficiência física, representando 1.126 munícipes; 3,41%, ou 902 pessoas, algum tipo de deficiência motora; e por fim, 1,37%, isto é, 362 prudentinos têm deficiência física com total dos membros.

Para fazer valer o direito destes cidadãos, o conselho se uniu e no Dia Internacional da Pessoa Com Deficiência promoveu uma ação de conscientização no quadrilátero central do município. Com a frase “Pratique a Cidadania! Respeite a acessibilidade das pessoas com deficiência!”, panfletos foram distribuídos a motoristas que circulavam pelas ruas paralelas ou próximas ao Calçadão, entre elas Doutor José Foz, Barão do Rio Branco, Joaquim Nabuco, Doutor Gurgel, Siqueira Campos, Major Felício Tarabai, além da Avenida Coronel José Soares Marcondes.

Além do presidente do Condef Milton Takao Mizukawa e conselheiros, também fizeram questão de marcar presença o vereador Douglas Kato (PV), o chefe de gabinete da Prefeitura Feiz Abbud, a secretária municipal de Assistência Social, Regina Helena Penati Cardoso, o controlador interno da Prefeitura José Carlos Raposo e a coordenadora do Departamento de Atenção Básica da Secretaria Municipal de Assistência Social, Ariane Lopes Vieira. Agentes de trânsito da Secretaria Municipal de Assuntos Viários e Cooperação em Segurança Pública (Semav), além da Polícia Militar, deram apoio à campanha de mobilização.

O vereador, que é cadeirante, confirma o que sempre frisa o Condef: ainda há desrespeito para com este tipo de público quanto às vagas disponibilizadas na área central do município. “É uma ação simples, mas uma sementinha que a gente vai plantar hoje para que a população se conscientize mais quanto a essas vagas que são nossas por direito. Às vezes muitos motoristas param um minuto na vaga, achando que não vão comprometer em nada, mas não tem a noção de quanto esse minuto prejudica um motorista deficiente que naquele exato momento pode estar passando por ali em busca de estacionamento. Inclusive isso já aconteceu comigo”, ressalta.

Em contrapartida, o legislador reconhece que os motoristas deficientes também precisam fazer valer seus direitos. “Ainda também falta consciência por parte das pessoas com deficiência. Tanto que muitos ainda não têm a credencial que lhe garante o direito de estacionar nas vagas que já são limitadas. Então a orientação que fica é para aquele deficiente que ainda não tem esse documento, que retire junto a Semav. E mais: deve ser pedida a credencial, e não o selo-adesivo, que só lhe garante o direito de estacionar sempre num mesmo carro. Só que se ele for ao centro com o carro de alguém? Não tem jeito. Por isso deve ser pedida a credencial”, explica.

O presidente do Condef acrescenta que além das vagas, muitos também ignoram as guias rebaixadas, estacionando o carro frente a elas e impedindo a passagem de cadeirantes. “Assim como as vagas, essas rampas de acessibilidade que existem nas calçadas também devem ficar livres, principalmente agora no fim de ano quando aumenta o fluxo de veículos devido o aumento de consumidores no comércio”, conta. “Com a ação de hoje esperamos conseguir alguns resultados positivos. Nós já evoluímos nesse sentido, mas ainda numa quantidade muito pequena. Gostaríamos que fosse uma melhora mais significativa”, completa.

Por fim, ele pede para a população dar sua parcela de contribuição e ajudar na fiscalização. “As pessoas precisam denunciar irregularidades. Só que antes de ligar para a polícia, que anote a placa antes, até porque o motorista pode desocupar a vaga antes da polícia chegar”. A ação termina às 12h.

Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Presidente Prudente (SP)

Compartilhar