voltar

Vigilância | 10/04/2019

Doses da vacina contra gripe estão liberadas para público geral até 14 de junho

A campanha levou 45,7 milhões de pessoas do público-alvo aos postos de vacinação em todo o país, entre os dias 10 de abril e 31 de maio.  Agora, imunização será disponibilizada para o público em geral entre os dias 3 e 14 de junho. 

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza de 2019 imunizou 45,7 milhões de pessoas, 76,9% do objetivo do Ministério da Saúde, que era de vacinar 59,4 milhões de brasileiros. Conforme nota informativa do Ministério da Saúde, entre 3 e 14 de junho, estados e municípios devem orientar a oferta da vacina para todas as faixas etárias, a depender do estoque existente e da estratégia definida pelas Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde.

Entre a população prioritária, os funcionários do sistema prisional registraram a maior cobertura vacinal, com 94,2% de cobertura, seguido pelas puérperas (91%), indígenas (86,7%), idosos (85,3%) e professores (82,8%). Os grupos que menos se vacinaram foram os profissionais das forças de segurança e salvamento (32,2%), população privada de liberdade (50,4%), pessoas com comorbidades (66,6%), crianças (69,9%), gestantes (70,8%) e trabalhadores de saúde (72,9%).

Os portadores de doenças crônicas não transmissíveis, que inclui pessoas com deficiências específicas, devem apresentar prescrição médica no ato da vacinação. Pacientes cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do SUS deverão se dirigir aos postos em que estão registrados para receber a vacina, sem a necessidade de prescrição médica.

A escolha do público prioritário no Brasil segue recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). Essa definição também é respaldada por estudos epidemiológicos e pela observação do comportamento das infecções respiratórias, que têm como principal agente os vírus da gripe. São priorizados os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias.

A vacina produzida para 2019 teve mudança em duas das três cepas que compõem a vacina, e protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no último ano no Hemisfério Sul, de acordo com determinação da OMS: A/Michigan/45/2015 (H1N1) pdm09; A/Switzerland/8060/2017 (H3N2); B/Colorado/06/2017 (linhagem B/Victoria/2/87). A vacina contra gripe é segura e reduz as complicações que podem produzir casos graves da doença.

Neste ano, até 11 de maio, foram registrados 807 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por influenza em todo o país, com 144 mortes. Até o momento, o subtipo predominante no país é o vírus influenza A (H1N1) pdm09, com registro de 407 casos e 86 óbitos.

Tabela de cobertura vacinal por Unidade Federativa (dados até 29 de maio)

Estado População Doses aplicadas Cobertura
Rondônia 430.942 362.832 84,20
Acre 242.134 157.071 64,87
Amazonas 1.134.938 1.104.950 97,36
Roraima 193.706 154.557 79,79
Pará 2.095.999 1.583.041 75,53
Amapá 203.313 192.567 94,71
Tocantins 423.089 325.939 77,04
Maranhão 1.877.403 1.537.420 81,89
Piauí 905.543 690.051 76,20
Ceará 2.563.445 1.991.930 77,71
Rio Grande do Norte 993.277 805.646 81,11
Paraíba 1.185.997 979.287 82,57
Pernambuco 2.644.685 2.368.797 89,57
Alagoas 876.935 749.921 85,52
Sergipe 567.774 439.347 77,38
Bahia 4.107.807 2.949.064 71,79
Minas Gerais 6.077.516 5.273.007 86,76
Espirito Santo 1.053.545 903.102 85,72
Rio de Janeiro 4.902.445 2.824.851 57,62
São Paulo 13.477.738 8.809.624 65,36
Paraná 3.352.193 2.750.127 82,04
Santa Catarina 1.987.390 1.490.109 74,98
Rio Grande do Sul 3.829.699 2.843.790 74,26
Mato Grosso do Sul 801.907 597.378 74,49
Mato Grosso 859.343 678.544 78,96
Goiás 1.862.979 1.487.589 79,85
Distrito Federal 817.939 597.784 73,08
BRASIL 59.469.681 44.648.325 75,08

 

Com informações da Agência Saúde