Saiba como foi a live sobre variantes emergentes do coronavírus - CONASEMS
voltar

Vídeo | 09/02/2021

Saiba como foi a live sobre variantes emergentes do coronavírus

Todos os vírus, incluindo o Coronavírus, sofrem mutação. Essas mudanças genéticas acontecem à medida que o vírus faz novas cópias de si mesmo para se espalhar. A maioria das mutações é irrelevante, mas outras podem torná-lo mais infeccioso. Para apresentar e discutir a situação das variantes do coronavírus que estão surgindo em vários países do mundo, incluindo no Brasil, o professor André Ribas, médico epidemiologista, foi o convidado da live especial desta quinta-feira (11). A transmissão ao vivo foi feita pelo Canal Conasems do Youtube. O epidemiologista falou de estudos sobre possíveis reinfecções, vacinas, rastreamento e quarentena de contatos, a partir da apresentação das variantes e suas implicações na saúde pública. 

Clique aqui e confira a apresentação feita pelo prof. André Ribas durante a live

Queremos saber sua opinião: Qual tema relacionado a Covid-19 você considera mais importante para ser abordado na próxima live? Clique aqui e responda!

Projeto Hubcovid

O projeto, que será lançado em março, vai reunir e compartilhar conhecimento com base científica de forma clara e objetiva, para apoiar gestores(as) públicos(as), profissionais da saúde e a população no enfrentamento à covid-19.

Siga o Hub nas redes:

Facebook
Instagram 

Assista a live na íntegra:

 

Saiba mais sobre o tema da live: 

Variantes do coronavírus

Em 14 de dezembro de 2020, as autoridades do Reino Unido notificaram à OMS uma variante do coronavírus. Experimentos recentes mostraram que essa variante infecta as células com mais sucesso. Até o momento já foi encontrada em 70 países, dos quais 29 com transmissão local. Outro achado preocupante em relação à esta linhagem foi o aumento na proporção de casos entre crianças e adultos jovens 

Em 18 de dezembro de 2020, as autoridades da África do Sul anunciaram a detecção de uma nova variante do SARS-CoV-2 e no dia 9 de janeiro de 2021, o Japão notificou a OMS sobre uma nova variante detectada em quatro viajantes provenientes do Brasil. tendo sido identificada em dezembro de 2020 em Manaus-AM. Essa variante possui 12 mutações na proteína espícula, que podem afetar a transmissibilidade e a resposta imune do hospedeiro. Esta nova linhagem esteve ausente nas amostras coletadas entre março a novembro em Manaus, mas foi identificada em 91% das amostras coletadas na mesma cidade em janeiro de 2021. 

O fato dessas linhagens de terem origens distintas, mas possuírem as mesmas mutações, sugere um processo denominado convergência evolutiva, que é o nome dado quando características semelhantes são selecionadas em diferentes locais por apresentarem vantagens claras como maior transmissibilidade, sucesso na replicação ou mesmo escape imunológico.

Confira o artigo sobre o tema lançado na Inter American Journal of Medicine and Health 

Compartilhar