Helicóptero do Samu transporta crianças de Palmeira e Arapiraca para Maceió - CONASEMS
voltar

Gestão | 04/01/2011

Helicóptero do Samu transporta crianças de Palmeira e Arapiraca para Maceió

Samu_Aeromdico_transporta_beb_de_Arapiraca__para_Macei_2
Samu_Aeromdico_transporta_beb_de_Arapiraca__para_Macei_2
Esperança. O helicóptero do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu)  foi a esperança nesta terça-feira (4) para  duas crianças  recém-nascidas em Arapiraca e Palmeira dos Índios. Em 2009 foram realizados 518 transportes de recém-nascidos já em 2010  esse número saltou para 842 crianças atendidas pelo serviço.

Indispensável para reduzir o tempo resposta do Samu, principalmente em acidentes com pacientes graves, pessoas com indicação de transplantes em outros estados, gestantes e crianças de alto risco, o Arcanjo (anjo da anunciação), como é chamada a aeronave do Samu, adquirido ano passado pelo governo do Estado, tem sido uma ferramenta importante para encurtar distâncias e levar esperança aqueles que lutam para sobreviver.

No primeiro vôo do Arcanjo, o resgate foi de uma criança de apenas 7 dias,  que nasceu com baixo peso, 600 gramas, e evoluiu para complicações respiratórias. Ela estava internada no Hospital Regional de Arapiraca, mas precisou de transferência para uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI)  em Maceió. Já o segundo caso, é de uma criança internada

 no Hospital Santa Rita,em Palmeira dos Índios com 52 dias de nascida, que foi transportada para  a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital da Santa Casa de Misericórdia, em Maceió. A menina apresenta má formação  do aparelho respiratório.

De acordo com a médica e coordenadora do Serviço Neonatal da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), Marta Celeste Mesquita, a criança vai ser submetida a um exame broncoscopia e, dependendo do resultado, será submetida ou não a uma cirurgia para corrigir o problema. A mãe da criança, Claudelânia Alves de Lima, é oriunda do município Maravilha. “Esperamos que não seja necessário fazer a cirurgia, mas se fizer estará em boas mãos e será mais uma vida salva”, disse a médica. As duas transferências foram realizadas com sucesso pelas equipes do Samu.

O novo secretário de Saúde, Alexandre Toledo, elogiou a atuação dos profissionais ao tomar conhecimento do trabalho desenvolvido em ambos os casos. “É um serviço de ponta e também de grande responsabilidade. Vamos apoiar no que for necessário para que o Samu tenha cada vez mais condições de salvar vidas e contribuir com a redução da mortalidade infantil”, destacou Toledo.

Já de acordo com a médica pediátrica e neonatologista, Daniela Bulhões, que acompanhou a criança que foi transportada de Arapiraca para Maceió,o quadro clínico de ambas é grave e respiram por meio de ventilação mecânica. Por apresentar baixo peso e com dificuldades para deglutir, o bebê procedente de Arapiraca receberá nutrição parenteral, alimentação de nutrientes por meio venoso para recuperar peso e fortalecer o organismo.

O pouso na Academia de Polícia Militar, no bairro do Trapiche  foi tranquilo. De lá uma Unidade de Suporte Avançado (USA) espécie de UTI Móvel do Samu Neonatal, criado também com essa finalidade: transportar crianças e gestantes para unidades especializadas. O serviço gratuito do Samu atende pelo número 192 e seu custeio é feito com recursos do governo estadual.

O Serviço Neonatal criado pelo governo de Alagoas como uma das estratégias para reduzir a mortalidade infantil é inédito no País  e foi apresentado no III Congresso Nacional do Samu realizado em Brasília, em novembro do ano p

assado. A partir dessa experiência o Ministério da Saúde está desenvolvendo o projeto Samu Cegonha, que será implantado nos demais estados. O Serviço Neonatal dispõe de ambulância do tipo Unidade de Suporte Avançado (UTI Móvel) exclusiva para o transporte de bebês e gestantes com risco de morte, além de um helicóptero. Todo o transporte é realizado com a presença de um médico e uma enfermeira.

Assessoria de Comunicação da Secretaria de Saúde de Alagoas 

Compartilhar