Evento reunirá novos gestores municipais da saúde do RS em Porto Alegre - CONASEMS
voltar

COSEMS - RS | 09/02/2017

Evento reunirá novos gestores municipais da saúde do RS em Porto Alegre

Promovido pelo Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Rio Grande do Sul (COSEMS/RS) e pela Secretaria Estadual da Saúde (SES/RS), o Acolhimento de Novos Gestores 2017 dará as boas-vindas aos secretários municipais de saúde do Estado. O evento será realizado na quinta-feira (16/2), a partir das 8h30, no Auditório do Ministério Público (Av. Aureliano de Figueiredo Pinto, 80 – Porto Alegre/RS). Mais informações pelo site www.cosemsrs.org.br/acolhimento2017.

O presidente do COSEMS/RS e secretário da Saúde de Piratini, Diego Espindola, explica que a gestão 2017-2020 tem como característica um grande número de gestores da saúde novos, além de uma série de mudanças que estão ocorrendo em termos de financiamento. “O Acolhimento vem para auxiliá-los nessas mudanças e para mostrar como é o funcionamento do Sistema Único de Saúde (SUS) em suas instâncias e o papel do COSEMS para qualificar as gestões.” Para ele, o evento será também espaço para que sejam atualizadas informações pelo Estado e pela União sobre as políticas de saúde e também para a troca experiências.

Segundo Espindola, o Acolhimento será ainda uma oportunidade de fortalecer as instâncias regionais do COSEMS, unindo os secretários a partir de seus territórios. “Temos investido na qualificação do processo de divulgação de informações relevantes. Há gestores com muita experiência que podem, através dessa relação, auxiliar os demais para que não cometam erros básicos e façam uma boa gestão focada no bem-estar das pessoas”, explica. Segundo ele, um dos objetivos da entidade é justamente incentivar esses elos regionais, fortalecendo as Comissões Intergestores Regionais (CIRs). “Com esses espaços de pactuação fortalecidos, ao chegarmos para dialogar com o Estado, os municípios já estão com as ideias alinhadas para poder lutar pelo bem comum de toda a região e não de forma isolada”, avalia. “Os municípios não podem mais pensar apenas na sua realidade, pois, se os assuntos de interesse comum forem tratados regionalmente, haverá um encaminhamento que beneficiará a todos.” Espindola acredita que começar a gestão com essa aproximação entre os secretários abrirá grandes perspectivas para todos. “Quando a pessoa trabalha em grupo e participa dessas grandes reuniões, discussões e debates, alcança a resolutividade de modo mais rápido”, afirma.

Já para o secretário estadual da Saúde, João Gabbardo dos Reis, esse é o momento para reunir e integrar os gestores municipais para qualificação e discussão da melhoria dos serviços de saúde. “Considero de suma importância esse espaço, tanto para a troca de experiências, quanto para a atualização sobre o SUS no Rio Grande do Sul”, disse.

PROGRAMAÇÃO – O ex-presidente do COSEMS/RS, Marcelo Bosio, que coordenou o processo de estruturação do Acolhimento, acredita que o evento representará um espaço para conversa, esclarecimentos e atualização da dinâmica de mudanças que têm ocorrido na área da saúde nos últimos anos, o que facilitará o dia a dia da gestão, sendo uma oportunidade de o novo gestor ter uma informação mais qualificada em um só lugar, em vez de ir descobrindo aos poucos. “Atualmente os gestores precisam, necessariamente, atuar em rede”, frisa. “Os municípios precisam estar articulados através das CIRs, das Pactuações da Comissão Intergestores Bipartite (CIB) e terem o conhecimento de como encaminhar as questões de habilitações, saber das articulações com o Estado e com o Ministério da Saúde.” Para ele, o Acolhimento é uma oportunidade para os gestores se conhecerem, entenderem a dinâmica do SUS e terem um resultado mais efetivo e rápido no processo da condução da gestão municipal.

Ainda sobre a necessidade de os municípios se unirem, Bosio fala que a saúde tem um apelo de organização cada vez mais regional, uma vez que os municípios não têm a capacidade de atender sozinhos toda a demanda por serviços. “Mesmo Porto Alegre, que hoje tem a maior concentração de tecnologia em saúde e a maior quantidade de serviços, precisa da articulação para a organização do acesso a Capital”, exemplifica. Assim, essa oportunidade de os municípios poderem estar em um mesmo espaço, organizados, se integrando e pactuando rotinas que auxiliem na construção do sistema regional é fundamental. “O gestor que não entende essa participação regional, certamente terá dificuldade em executar as suas atividades no seu município”, avalia. “Não é apenas uma questão de ser importante, é uma condição trabalhar de forma articulada e regionalizada com o conjunto dos municípios.”

Com uma programação voltada para falar dos espaços de pactuação governamental (CIR, CIB e CIT), do Controle Social (CMSs), dos princípios basilares da organização legal do SUS e o contexto atual, Bosio diz que a realização do evento neste momento de início de mandato é fundamental para auxiliar na organização dos próximos anos de gestão. “O início de governo é o período mais difícil, porque há mudança de equipe e, muitas vezes, de filosofia de trabalho”, disse. “Os gestores precisam entender a importância disso para a implantação do plano de governo e das Conferências Municipais, que darão a base para a construção dos Planos Municipais de Saúde, sendo decisivos nos próximos anos de gestão.” Para ele, quanto antes os secretários estiverem apropriados dos conhecimentos sobre o SUS, suas ferramentas e instrumentos, mais rapidamente terão condições de oferecer uma resposta qualificada para a prestação de serviços à comunidade.

Já para a ex-1ª-vice-presidente do COSEMS/RS Sandra Sperotto, que também integrou a equipe de estruturação do evento, a proposta da atividade visa nivelar os conhecimentos, tendo em vista que o grupo de secretários é bem heterogêneo, com pessoas novas na função, vindas de diversas áreas. “O objetivo é oportunizar a qualificação da gestão local, pois o município é a base operacional, a base de vida das pessoas e esse sistema de saúde tem que estar bem organizado para garantir qualidade, independente do porte do município”, diz. “Quando organizamos o serviço, conseguimos dar respostas efetivas para a população. O evento do acolhimento tem essa intenção, de dar subsídios, trazer visões para o debate para que os municípios possam, a partir dessas discussões, desenvolver os trabalhos e a organização da gestão local com qualidade.”

Sandra acredita que a troca de conhecimentos entre os secretários é bastante produtiva para a qualificação da gestão municipal da saúde. “Não ficaremos restritos a apenas ouvir. Haverá troca informações, com uma oportunidade ímpar de integração”, destaca. Além disso, ela explica que é um momento de entender como funciona o processo e a organização das lideranças na saúde. “O COSEMS tem esse papel de representar o conjunto dos municípios. Entender essa organização, saber quem é quem nesse processo, quem está na liderança, é muito importante para que os gestores municipais possam saber, em algum momento de dúvida, a quem buscar, a quem se direcionar.”

O Acolhimento de Novos Gestores 2017 conta com o apoio da Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (FAMURS), do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS) e do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS).

 

Programação:

 

8h30 – Credenciamento

9h – Abertura Oficial

 

9h45 – Painel “Conhecer a Gestão do SUS para fazer a Saúde cada vez melhor”
Coordenador: Diego Espindola (Presidente do COSEMS/RS)

– Tema 1: Desafios da gestão municipal de Saúde nos aspectos organizativos e operacionais, considerado os princípios do SUS
Painelista: Marcelo Bosio (Ex-presidente do COSEMS/RS)

– Tema 2: Governança do SUS: A responsabilidade compartilhada entre Municípios, Estado e União
Painelista: Mauro Guimarães Junqueira (Presidente do CONASEMS)

– Tema 3: O planejamento do SUS Estadual e seu papel agregador e articulador das redes e dos serviços
Painelista: João Gabbardo dos Reis (Secretário da Saúde do Rio Grande do Sul e presidente do CONASS)

11h15 às 12h15 – Os espaços de pactuação governamental (CIR, CIB e CIT) e o Controle Social (CMSs)
Coordenadora: Ana Paula Goularte Macedo (Tesoureira do COSEMS/RS e secretária da Saúde de Estância Velha)
Representante do COSEMS/RS: Luís Antônio Benvegnú (Vice-prefeito de Santa Rosa e ex-presidente da FUMSSAR)
Representante da SES/RS: Aglaé Regina da Silva (Diretora da ASSTEPLAN-SES/RS)

13h30 – Princípios basilares da organização legal do SUS e o contexto atual
Coordenador: Elson Romeu Farias (Diretor do Departamento de Ações em Saúde da SES/RS)
Representante do COSEMS/RS: Sandra Sperotto (Ex-1ª vice-presidente do COSEMS/RS)
Representante da SES/RS: Francisco Zancan Paz (Secretário-adjunto da Saúde do Rio Grande do Sul)
Tema 1: A legislação do SUS: a Lei 141/2012 e o Decreto 7.508/2011 no contexto atual
Tema 2: A Atenção Básica, a Média e a Alta Complexidade
Tema 3: Os Sistemas de Informação: e-SUS, SIOPS, SARGSUS e Relatório de Gestão

Das 15h – Ações contra as doenças do verão (Dengue, Chikungunya e Zika) e outras demandas emergenciais
Coordenadora: Marilina Bercini (Diretora do Centro Estadual de Vigilância em Saúde da SES/RS)
Representante do COSEMS/RS: Erno Harzheim (Secretário Municipal da Saúde de Porto Alegre)
Representante da SES/RS: João Gabbardo dos Reis (Secretário da Saúde do Rio Grande do Sul e presidente do CONASS)

15h45 – Mesa de Encerramento

17h – Encerramento

Compartilhar