Especial Brasil, aqui tem SUS: Rede Acolhe em São José do Ribamar-MA no enfrentamento à Covid-19 na APS - CONASEMS

Especial Brasil, aqui tem SUS: Rede Acolhe em São José do Ribamar-MA no enfrentamento à Covid-19 na APS

São José de Ribamar é a terceira cidade mais populosa do Maranhão e a única interligada à capital, São Luiz, por via terrestre. A evolução da Covid-19 no município, que chegou a ser o segundo em número de casos no Estado, levou a gestão a reorganizar sua rede de cuidados de tal forma que hoje 30 cidades do Maranhão apresentam incidência maior da doença. Mas que decisões foram tomadas que possibilitaram uma redução tão expressiva na quantidade de pessoas contaminadas? A resposta está no fortalecimento da Atenção Básica.

“A maior preocupação era montar uma estratégia que valorizasse a nossa potencialidade, que é justamente a Atenção Básica, cuidando da população precocemente. Elaboramos um projeto onde montamos unidades denominadas de Acolhe, cujo diferencial foi a humanização”, relata o secretário municipal de saúde, Willian Vieira Ferreira. Contaminado no começo da pandemia, o secretário conta que suas aflições foram norteadoras do seu trabalho posterior. “Mergulhei de cabeça no projeto após passar por muitas dificuldades. Em meio a tantas incertezas, tínhamos que transmitir a segurança de que as pessoas poderiam procurar as unidades diante da simples sensação de estarem doentes”, rememora.

A rede Acolhe possui quatro unidades de referência no atendimento das síndromes gripais leves. Localizadas em pontos estratégicos da cidade, lá é atendida qualquer pessoa com algum sintoma da doença ou até mesmo com quadros de ansiedade. A criação das unidades de referência diminuiu a demanda no hospital municipal, que tem 12 leitos exclusivos para atendimento de Covid-19, como também trouxe mais segurança para os demais profissionais de saúde, que tiveram para onde referenciar os pacientes atingidos pela pandemia. As equipes lotadas nas unidades da rede Acolhe passaram por um treinamento rigoroso e a gestão contratou preferencialmente profissionais que já tiveram a doença.

A humanização do cuidado começa, segundo o gestor, desde o acolhimento inicial na recepção. Profissionais volantes atuam de acordo com a necessidade de cada usuário e o sistema de saúde disponibiliza o exame sorológico para confirmar o diagnóstico e a tomografia caso seja necessário. O resultado do exame de Covid-19 é encaminhado pela internet, no prazo máximo de 72 horas.

Fluxo de atendimento

São José de Ribamar conta com um hospital, duas Unidades de Pronto Atendimento (UPA) de administração estadual e 38 Unidades Básicas de Saúde (UBS), das quais atuam 47 equipes da Estratégia Saúde da Família (ESF). Durante a pandemia, o fluxo de atenção aos pacientes contaminados tem funcionado da seguinte forma: no máximo de dois em dois dias, as pessoas que estão se recuperando da doença em domicílio são monitoradas pelo psicólogo da equipe. Após o fim dos sintomas, o paciente é referenciado para a unidade de saúde da família do bairro para avaliação.

Quando há complicações causadas pela doença, o paciente volta a ser avaliado em uma das unidades da rede Acolhe e, caso haja maior agravamento, é encaminhado para os pontos da rede de maior complexidade, como a UPA ou o hospital municipal.  “Montamos uma estratégia para transportar os usuários que sofrem agravamento pelo SAMU, que os leva imediatamente para uma unidade especializada. A equipe está toda preparada”, diz o secretário. A previsão é de que a rede acolhe se mantenha atuante até dezembro, mas caso haja necessidade o projeto pode ser estendido.

“De tanto enfrentar uma saúde precária no nosso país, no nosso estado, eu venho parabenizar a saúde de São José de Ribamar. Após ser diagnosticado com a Covid -19, recebi excelente tratamento na central de referência em síndromes gripais. Um acompanhamento fantástico. Fui muito bem atendido desde a hora que cheguei na recepção e agradeço pelas mensagens para saber se estou reagindo bem”, afirma Gustavo Aragão, que se recupera da doença.

De acordo com o boletim epidemiológico do município de 180 mil habitantes, foram registrados até o dia 18 de outubro 1.345 casos confirmados de Covid-19, dos quais 1.089 curados e 119 óbitos. Há mais de 100 dias nenhum paciente é internado em consequência da doença e isso se deve, segundo o secretário, ao atendimento precoce. São José de Ribamar representou o estado do Maranhão na quinta roda de conversa na I Mostra Virtual Brasil, aqui tem SUS, promovida pelo Conasems.

Confira como foi a 5ª Roda de Conversa:

 

Compartilhar