Especial Brasil, aqui tem SUS: Profissionais de saúde recebem cuidados que previnem agravos psicológicos em Salvador

Os profissionais de saúde, sobretudo os que ocupam a linha de frente no cuidado das vítimas da pandemia provocada pelo coronavírus, estão expostos ao alto risco de contaminação e ao adoecimento psíquico. De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), 10% das infecções por covid-19 no mundo afetam os profissionais de saúde. No Brasil, segundo boletim divulgado pelo Ministério da Saúde no dia 4 de julho, 173.440 casos de Síndrome Gripal (SG) foram confirmados para a covid-19 em profissionais da área, o que resultou na morte de 138 trabalhadores da saúde.

A pressão sobre os profissionais de saúde deu origem a uma experiência, que foi escolhida pela comissão avaliadora da Mostra Virtual Brasil, aqui tem SUS como de maior destaque do estado da Bahia. O Distrito Sanitário Pau de Lima, em Salvador, resolveu encurtar distâncias entre a equipe do Núcleo de Apoio e Atendimento ao Trabalhador (NAAT) e os profissionais que estão na ativa, atuando no cuidado de usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). O objetivo foi promover uma busca ativa e identificar casos graves de estresse, ansiedade e depressão.

Por meio de um questionário distribuído via Whatsapp para os gerentes das 16 unidades de saúde da região, buscava-se chegar aos 692 trabalhadores da saúde vinculados ao Distrito Sanitário. Eles foram indagados sobre seu estado emocional diante do enfrentamento da pandemia e os que apresentaram maior necessidade de acompanhamento foram convidados a entrar no programa. Um dos coordenadores do projeto e autor da experiência, André Bonfim Dias, conta que a oferta de cuidados à saúde do trabalhador já existia há dois anos no Ambulatório de Práticas Integrativas e Complementares, mas não havia tanta procura nem muitos profissionais disponíveis para prestar o atendimento.

Mas quando a Prefeitura lançou o Plano de Contingência no enfrentamento da Covid-19, que propunha a implantação do NAAT nos 12 distritos sanitários do município, foi a deixa para reformular o cuidado. “A minha principal satisfação com esse projeto foi nos reunirmos para cuidar de nós mesmos, que estamos na linha de frente. Essa iniciativa tem um elemento afetivo muito importante porque as pessoas compraram a ideia de que a solidariedade é a chave para o enfrentamento de problemas coletivos”, revela.

Atuando como psicólogo de uma equipe de saúde mental do ambulatório da Atenção Básica, André lembra que com a interrupção de algumas das atividades presenciais, provocada pela necessidade de isolamento social, muitos profissionais ficaram sem saber o que fazer naquele momento. Foi assim que alguns integrantes da equipe foram remanejados para o NAAD com o objetivo de auxiliar na assistência aos profissionais de saúde. Dessa forma o trabalho se ampliou, ultrapassando o cuidado em saúde mental e abrangendo pessoas que se recuperam de covid-19 ou estão no grupo de risco para a doença. O projeto conta com a presença de 16 profissionais das áreas de medicina, psicologia, nutrição, fisioterapia, assistência social, educação física e práticas integrativas e complementares.

“Quando tivemos parte das atividades suspensas, ficamos perdidos porque nossa rotina foi muito alterada. Com o projeto, passamos a desenvolver um trabalho que faz muito sentido para nós e talvez por isso a experiência tenha se tornado popular. Os profissionais se sentem mais seguros de que se precisarem têm a quem recorrer”, avalia o autor.  Do total de 235 pessoas que responderam ao questionário (35%), 83 estão sendo assistidas de forma virtual ou presencial. Aproximadamente 7% delas apresentaram ideia suicida ou têm histórico de tentativa de suicídio.

Ao ingressarem no programa, elas têm um projeto terapêutico singular desenvolvido, que engloba o acompanhamento permanente de um técnico de referência. Norma Ingrid de Jesus é auxiliar de saúde bucal do Distrito Sanitário Pau de Lima. Ela conta que antes de conhecer o programa, vivia em sofrimento psicológico. “Eu estava sofrendo muito, com tristeza e pensamento suicida. Não conseguia nem me olhar no espelho porque me achava feia, minha autoestima estava lá em baixo. A equipe me acolheu e foi muito importante porque minha vida mudou bastante depois disso. Hoje me sinto bonita, tenho vontade de viver. Quero agradecer de coração a todas as profissionais, que são maravilhosas”, comemora.

São acompanhados no Distrito Sanitário Pau de Lima mais de 300 mil usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Até o dia 24 de agosto foram confirmados 236.050 casos de covid-19 em Salvador, dos quais 218.508 são considerados curados e 4.905 morreram vítimas da doença. Esta experiência foi apresentada na segunda Live da Mostra Virtual Brasil, aqui tem SUS, no dia 25 de agosto, como parte da programação do I Congresso Virtual do Conasems. Confira o vídeo da transmissão ao vivo abaixo:

 

Texto: Giovana de Paula, colaboradora externa

Compartilhar