Ações de saúde atraem banhistas na orla de Maceió - CONASEMS
voltar

Gestão | 31/01/2011

Ações de saúde atraem banhistas na orla de Maceió

000DSC_0138
000DSC_0138Uma pausa para a solidariedade. Em mais um etapa do projeto Verão Saudável, o Hemocentro de Alagoas (Hemoal) aproveitou o segundo dia do Projeto Verão Mais Saudável, neste sábado, para cadastrar doadores de medula óssea na orla da Pajuçara, em frente ao antigo Clube Alagoinhas. A ação visa aumentar o número de alagoanos inscritos no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome). Atualmente existem 12.306 doadores alagoanos cadastrados. Em todo o Brasil, existem aproximadamente dois milhões. A iniciativa é do Governo de Alagoas por meio da Secretaria de Estado da Saúde e Unimed Maceió.

A dona de casa Edna Trindade Pio Silva trocou a costumeira caminhada matutina pela orla da Pajuçara para tornar-se uma doadora de medula óssea. Ela foi uma das primeiras voluntárias a cadastrar-se no Hemoal. “Estou muito satisfeita em saber que estou ajudando alguém que nem conheço e que pode precisar muito de mim. Ser voluntário é muito bom. Já tinha vontade de ser doadora, aproveitei então a oportunidade”, afirmou.

O professor Jayson França contou que já é doador de sangue e disse que agora está se sentindo mais completo por ser também doador de medula óssea. “Vou sair daqui pronto para convencer outras pessoas a fazerem o mesmo. Estou torcendo para eu tenha a compatibilidade com algum receptor, eu ficaria bastaste feliz”.

A assistente social do Hemoal, Verônica Salgueiro, explicou que o número ainda é considerado pequeno, uma vez que a probabilidade de encontrar um doador compatível com um paciente é raríssima. “A probabilidade de encontrar um doador compatível é de um para um milhão, mas quanto maior número de doadores cadastrados aumenta consideravelmente as chances de existir a compatibilidade”, declarou.

Verônica Salgueiro explicou que o cadastro é simples, já que são coletados dos doadores apenas cinco mililitros de sangue, quantidade suficiente para fazer o exame do código genético.

O resultado do exame é remetido ao Redome, no Instituto Nacional do Câncer, no Rio de Janeiro. “No entanto, o doador cadastrado como voluntário somente é chamado para fazer a doação caso seja encontrado algum paciente compatível no Registro Nacional de Receptores de medula óssea”, explicou a assistente social do Hemoal.

Segundo ela, a meta era cadastrar, em todo o Brasil, um milhão de doadores até 2012. “Felizmente, esse número já foi ultrapassado. O Brasil já é o terceiro país no mundo em número de doadores de medula óssea. Alagoas, ainda está com um número pequeno, mas vamos mudar essa realidade com o apoio de todos os doadores alagoanos. O número de doações em todo o país reduziu o tempo de espera por um transplante de um ano para seis meses”, comemorou.

Doador Voluntário – Para ser doador voluntário de medula óssea, o candidato precisa ter boa saúde, no mínimo 18 anos de idade e no máximo 55, além de portar o CPF e a carteira de identidade. Antes de doar os cinco mililitros de sangue, o doador voluntário preenche um formulário. “O doador voluntário só não pode ter tido câncer ou doença infectocontagiosa”, acrescentou.

O Hemoal é o único órgão referência em Alagoas no tratamento de pacientes com doenças hematológicas e o único habilitado pelo Ministério da Saúde para fazer o cadastro de doadores.

Transplante – O transplante de medula óssea é feito através de uma pequena intervenção cirúrgica nos ossos da bacia. O procedimento é realizado em aproximadamente 90 minutos.

Paralelamente, o receptor se submete a um tratamento que destrói a própria medula para receber a medula coletada do doador voluntário, como se fosse uma transfusão de sangue.

A medula óssea doada é rica em células chamadas progenitoras que após mergulharem na corrente sanguínea circularão e se alojarão na medula óssea, onde se desenvolverão.

Quem não tiver oportunidade de se cadastrar como doador voluntário de medula óssea, durante a ação do Projeto Verão Mais Saudável, pode se dirigir à sede do Hemoal, no bairro do Trapiche, nas imediações do prédio do Hospital Geral do Estado (HGE), de segunda a sexta-feira, das 7h às 18h. Aos sábados, o cadastro pode ser realizado das 8h às 12h. Mais informações podem ser obtidas através do telefone 3315-2109 ou pelo e-mail:hemoal@saude.al.gov.br

Projeto Verão Mais Saudável – A ação é iniciativa da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) em parceria com a Unimed. Durante as atividades do projeto são disponibilizados médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, educadores físicos e terapeutas ocupacionais.

Os profissionais são responsáveis pela realização de atividades físicas, aulas de dança, exames de glicemia e hepatite, além de darem dicas sobre alimentação saudável, de como evitar doenças sexualmente transmissíveis, também há distribuição de preservativos, protetor solar, camisas, bonés, suco e água mineral.

O Projeto Verão Mais Saudável acontece, simultaneamente, na Barra de São Miguel, no litoral Sul do Estado. No bairro Niquim, serão disponibilizadas atividades físicas, dança, jump, além da verificação de pressão arterial, realização do teste de glicemia, hepatite B e distribuição de material educativo. Em Maceió, as atividades serão realizadas todos os sábados até o dia 26 de fevereiro.


Assessoria de Comunicação da Secretaria de Saúde de Alagoas 

Compartilhar