Enfrentamento à Covid-19: saiba mais sobre os trabalhos apresentados na Mostra Virtual Brasil, aqui tem SUS - CONASEMS
voltar

Mostra | 24/09/2020

Enfrentamento à Covid-19: saiba mais sobre os trabalhos apresentados na Mostra Virtual Brasil, aqui tem SUS

A 4ª Roda de Conversa da I Mostra Virtual Brasil, aqui tem SUS aconteceu nesta terça-feira (29), com apresentação de quatro projetos selecionados pelos avaliadores na 2ª etapa de seleção. A roda de conversa contou com a mediação da presidente do Cosems Bahia, Stela Souza e do comentarista José Ivo Pedrosa, professor da Universidade Federal do Delta do Parnaíba.

Saiba mais sobre as experiências selecionadas:

A I Mostra Virtual Brasil, aqui tem SUS continua revelando um grande número de experiências que demonstra o comprometimento dos profissionais com a promoção da equidade. Princípio norteador do Sistema Único de Saúde (SUS), a equidade se constrói nos territórios, lugar onde se explicitam as desigualdades. Como mostram as experiências apresentadas na quarta live da Mostra, realizada nesta terça-feira, dia 29 de setembro, criar políticas de saúde em municípios com maiores necessidades, como também se voltar para o cuidado de quem cuida da população, tem sido um exercício permanente das gestões municipais diante do sofrimento causado pela pandemia.

O evento contou com a mediação da presidente do Cosems Bahia e secretária municipal de saúde de Itaparica, Stela Souza, e os comentários do professor da Universidade Federal do Delta do Parnaíba, José Ivo Pedrosa. Stela fez uma retrospectiva da atuação do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) como impulsionador da troca de experiências. “Há 17 anos o Conasems passou a mostrar ao Brasil as grandes contribuições dos municípios ao nosso querido e maravilhoso SUS. Nos emocionamos ao ver a força que pulsa no Sistema Único de Saúde, onde a gente se reinventa permanentemente. A nossa reinvenção agora é essa mostra virtual sobre o enfrentamento à Covid-19”, ressaltou a gestora.

Dos quatro trabalhos apresentados, dois demonstraram a preocupação com o servidor da saúde, sujeito a riscos e a um cotidiano extenuante que tem repercussões em sua saúde física e emocional. Em Anápolis (GO), município de quase 400 mil habitantes, foi desenvolvido um protocolo de biossegurança para proteger profissionais de saúde que realizam visitas domiciliares a pacientes com sintomas de Covid-19. “Partimos da indagação sobre qual o perfil de competência do profissional da Atenção Básica para pensar a biossegurança”, conta a fonoaudióloga e servidora da Vigilância Epidemiológica, Júlia Maria Oliveira.

O projeto resultou no treinamento de 110 profissionais, entre médicos e enfermeiros, que passaram a observar os cuidados de proteção no ambiente de trabalho. “Vamos ter que introduzir no nosso cotidiano esse protocolo de biossegurança do profissional porque estamos expostos à uma doença do trabalho. Vimos o quanto uma ação pode ter efeitos inesperados, porque resulta de um processo de formação articulado com a gestão e o ensino, observando as condições estruturais das unidades de saúde. Esse trabalho dá uma outra cara à educação permanente”, ressalta o professor Ivo Pedrosa.

A preocupação com a saúde mental dos profissionais de saúde, tendo como centralidade a redução no uso de psicotrópicos por meio das práticas integrativas e complementares, deu origem à segunda experiência apresentada sobre saúde do trabalhador. “Decidimos implementar a auriculoterapia para reduzir a busca desenfreada por medicação. Após um mês fazendo as aplicações, percebemos a eficácia do projeto”, comemorou o autor da experiência desenvolvida no município de Cerro Corá (RN), Disllane Hildebrando. O projeto possibilitou que os 25 profissionais selecionados não precisassem se deslocar do trabalho para receber o tratamento. “A maior lição trazida é que o medicamento não cura todos os problemas da vida. É hora de pensar como socializar esse conhecimento e essa prática para caminhar um pouco mais em relação à autonomia das pessoas, aqui entendida como sendo a capacidade de cuidar de si do jeito que se é, da maneira como se vive, para então cuidar do outro”, afirma José Ivo.

Outra experiência em saúde mental, dessa vez voltada ao bem estar dos usuários do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) do município de Altos (PI), promoveu o deslocamento das atividades para a residência dos moradores. Como a principal atividade terapêutica é o artesanato, os usuários receberam em casa materiais para a pintura de camisetas, integrando as famílias ao processo terapêutico. “Pretendíamos reduzir o impacto negativo do isolamento e contribuir para diminuir o estresse e a ansiedade”, afirmou a autora da experiência, Maria Beatriz Costa Dias. “Ações desse tipo são fundamentais para a gente não baixar a cabeça e achar que tudo está perdido. Precisamos dessas pequenas vitórias para nos reconhecermos como profissionais engajados com a equidade na saúde”, reconhece José Ivo.

Luan Coelho Pedrosa apresentou a experiência de Porto Walter, um município isolado no estado do Acre cujo acesso só é possível por vias fluvial e aérea. Foi traçado um plano de contingência com o objetivo de retardar a entrada da doença no município, o que permitiu à gestão treinar os profissionais e adequar a infraestrutura para cuidar dos pacientes com Covid-19. “Nos sentimos uma ilha porque no entorno já havia transmissão comunitária e nós tínhamos apenas dois casos”, afirmou o autor. “As barreiras para impedir ou retardar o contágio aconteceram no momento em que a gente estava vivendo no Brasil um inferno comunicacional. Enquanto o Brasil tinha dúvidas, essa experiência apresentou decisões, considerando o que tem de bom no município. Por que o município não pode ser autor de uma política municipal? É possível trabalhar junto, é possível inventar e tornar o município gestor da ação”, elogiou o comentarista.

A transmissão foi feita pelo Canal Conasems no Youtube. Confira o vídeo na íntegra:

Os autores dos outros cinco projetos (Paudalho- PE, Quissamã- RJ, São João do Triunfo- PR, Brasília-DF e  Sítio Novo do Tocantins-TO) apresentaram seus trabalhos na 3ª Roda, que aconteceu dia 22 e está disponível no Canal Conasems no Youtube. 

Acompanhe aqui a programação de lives da I Mostra Virtual Brasil, aqui tem SUS                                           

Compartilhar