Diálogo com os presidenciáveis: regionalização é um dos principais desafios do SUS

13/09/2018

Um dos principais desafios do SUS é a efetiva regionalização dos serviços de saúde, considerando o papel dos entes da federação e o aprimoramento dos espaços de gestão. As pactuações regionais buscam ampliar a oferta e a resolutividade de ações e serviços de saúde especializados oferecidos pelo SUS.

No documento “Diálogo com os candidatos nas eleições em 2018”, elaborado pelo Conasems e publicado em julho deste ano, a entidade destaca a necessidade de rever o papel de cada ente federado na gestão do SUS, estabelecido em lei. O documento, que foi entregue a todos os candidatos à presidente da República, defende seis pontos primordiais: modelo de atenção e redes de atenção à saúde, governança e regionalização, trabalhadores do SUS, judicialização, financiamento e pacto federativo.  

Algumas das propostas apresentadas no documento incluem qualificar o processo de regionalização e planejamento ascendente; implantar um sistema de informação e planejamento que expresse a região de saúde para elaboração do processo de planejamento dos estados; estabelecer um processo de governança regional que expresse a dimensão não corporativa e autonomia dos entes do SUS, dentre outras colocações.

Para ler na íntegra todas as propostas, clique aqui.

Experiência exitosa em regionalização garante melhor atendimento a usuárias com câncer de mama no RJ

Premiada durante a 14ª Mostra Brasil, aqui tem SUS realizada no 33º Congresso Conasems, o trabalho realizado no município de Três Rios, no Rio de Janeiro, consiste na organização do acesso ao atendimento oncológico voltado para mulheres com câncer de mama que foi reformulado a partir da Regionalização da Saúde e da Regulação de todas as pacientes. As mudanças garantem hoje melhor acolhimento, acesso oportuno e ágil dentro do SUS.